Uma estranha parede de nuvens no Atlântico ( Bacia de Campos )

Published on julho 27, 2009 by   ·   6 Comments
OBS: Estas nunvens que estão aparecendo em todo mundo, são provavelmente devido ao Projeto Haarp, Rastros químicos.

Veja também>Estranhas nuvens aparecem em todo o mundo

25.7.2009

O Blog Verde recebeu de um colaborador fotos de uma estranha parede de nuvens que se estende mar adentro, feitas no início de julho de uma plataforma da Petrobras na Bacia de Campos. Parece desenho, feito a mão mesmo. O mistério não vai durar: na segunda-feira, o blog vai ouvir um meteorologista especialista no tema para explicar o fenômeno. Confiram desde já as fotos:

FONTE: http://oglobo.globo.com/blogs/blogverde

————————————-

FOTO DO FENÔMENO NA AUSTRÁLIA

registro do fenômeno na Austrália

O Blog Verde foi atrás de meteorologistas para explicar o estranho fenômeno de uma parede de nuvens na Bacia de Campos, como mostra o post de domingo (clique aqui). Mas, antes da resposta científica, quem saiu na frente para explicar a formação rara foi o colaborador Rogério Lourival, morador da Austrália e, pelo visto, amante inveterado de planadores. Ele contou a fantástica história das “morning glory”, uma espécie de pororoca dos ares que é literalmente surfada por pilotos aussies de motoplanadores. Ele explica que a formação de nuvem é de difícil previsão e, quando acontece, vale tanto para o piloto quanto uma onda perfeita para o surfista. É uma dessas interações especiais do homem com a natureza.

Leia abaixo, com gosto, o fantástico relato do Rogério:

A nuvem em questão é chamada de ” Morning Glory”, e o motivo vem a seguir:

As nuvens Morning Glory são raríssimas no mundo. Isto porque sua formação requer condições muito especiais, não encontradas facilmente em nosso planeta. Essas nuvens podem ter desde um par de quilômetros até 1500 quilometros de comprimento.

Uma Morning Glory se forma como uma “pororoca”, em que o rio é represado pela maré cheia até que o equilíbrio se rompe e uma onda é formada. No caso da Morning Glory, ela se forma quando uma massa quente de ar tropical descendo do Equador para latitudes baixas encontra uma massa fria e não conseque transpô-la. A pressão se acumula no lado quente, e uma barreira estática de nuvem é formada.

Quando o sol nasce e esquenta o ar frio, o equilibrio se rompe, e a nuvem comeca a se mover. Por esse motivo o nome dado é  Morning Glory (ou “Gloria da Manhã”): o fenômeno não acontece em hora nenhuma do dia, exceto logo após o nascer do Sol. A Austrália, mais precisamente no Golfo de Carpenteria, no extremo Norte australiano, é o lugar do mundo onde sua incidência é maior, ocorrendo basicamente (e somente) entre o fim de setembro e o fim de outubro.

Essa nuvem é tão extensa que pode ser vista por satélites como uma longa tripa. Uma vez formada, a nuvem se desloca para latitudes mais baixas a uma velocidade entre 30 e 50 km por hora, até desaparecer de repente, da mesma maneira que se formou.

Foto-satélite da Morning Glory (Nasa)

Sua base normalmente fica entre 200 e 500 metros do solo, e seu topo entre 2000 e 6000 metros de altitude. A grande caracteristica da Morning Glory é que ela é uma nuvem rotativa – ou seja, quando inicia o deslocamento, roda como uma onda no mar, só que ao inverso, pois, ao invés de rodar para frente (como a onda), ela roda para trás. Melhor explicando: imagine se levantarmos a roda de uma bicicleta do chão e a rodarmos para trás, como se estivéssemos querendo forçá-la a andar em marcha ré. É isso exatamente o que acontece com a Morning Glory, e por isso ela é um grande negócio na Austrália.

Para pilotos de planadores e ultraleve de todo mundo (incluindo pilotos comerciais de jato, etc), a Morning Glory é o topo do topo no esporte de planeio. Em Outubro de cada ano, a pequena cidade de Burketown recebe centenas de pilotos, todos em busca do maior desafio do esporte: surfar uma Morning Glory. Sim, uma Morning Glory pode ser surfada em sua parede exatamente como os surfistas pegam uma onda do mar, só que por 1500 quilometros e com duracao de até 4 horas. Em Burketown, só existe uma maneira de saber se irá ou não ocorrer uma Morning Glory no dia seguinte: a porta de vidro do freezer do hotel de Burketown, onde as cervejas são guardadas. Se a porta estiver orvalhada por dentro, vai ter uma Morning Glory decente; caso contrário, bebe-se todo o conteúdo do freezer e espera-se pelo dia seguinte.

Em tempo: nenhum cientista do mundo sabe exatamente quando uma Morning Glory será gerada. Por isso, o Jeff do pub/hotel de Burketown já recebeu ofertas de mais de US$ 50.000 pelo freezer com mais de 20 anos de uso, e continua se recusando a vender seu instrumento de precisão. Risos.

Uma Morning Glory pode ter uma única nuvem ou um trem de nuvens, sendo que a primeira é sempre a verdadeira e a mais consistente para planeios. Às vezes existem duas iguais – uma no rastro da outra – e o piloto experiente sabe que se tentar passar de uma para a outra, a morte é certa, pois levara um “tapa de vento” de cima para baixo. Explico: enquanto a parte da frente da nuvem sobe numa ascendente tão forte que é capaz de colocar um pequeno avião com motor desligado a 3.000 metros de altitude em menos de três minutos, a parte de trás da nuvem desce na mesma velocidade em direção ao solo. (lembre-se que a Morning Glory está rodando para trás ao redor de um eixo imaginário longitudinal, ao mesmo tempo que avanca para frente.)

A melhor maneira de se surfar uma Morning Glory é com um motoplanador. O motivo é que, com raríssimas exceções, essas nuvens se formam somente no mar. No caso de Burketown, Austrália, avançam terra adentro para uma area de deserto e mangue coalhada de crocodilos. Se a nuvem se dissolver repentinamente, basta ligar o motor para retornar a base.

No entanto, muitos pilotos já morreram de sede e forme no deserto por se empolgarem demais com o planeio ao som de música clássica dentro da cabine. A nuvem desaparece repentinamente, deixando-os no meio do nada, sem uma alma viva num raio de 300 Km. Sobreviventes tiveram que gastar fortunas para retinar seus planadores de lugares onde a estrada é voce quem faz, entre arbustos, areia, e áreas alagadas.

PS: O fato de uma Morning Glory deste tamanho ter sido fotografada no Brasil é algo incrivel. Talvez seja uma das únicas fotos existentes de uma verdadeira Morning Glory em território brasileiro.

Saiba mais a respeito nos endereços abaixo:

Morning Glory.com

Definição de Morning Glory no Wikipedia

Dropbears.com

LEIA TAMBÉM: Assuntos Relacionados

Tags:  , , ,

Readers Comments (6)
  1. Luis Henrique disse:

    Notei algo semelhante duas semanas atrás aqui em São José do Rio Preto (Interior de São Paulo) 
    Não havia nuvem nenhuma no céu,de repente a parede de nuvens surgiu no horizonte já formada. Passou por nós e depois o céu voltou ficar limpo de novo. Era de noite, e eu estava voltando da igreja. Até comentaram sobre a volta de Jesus.

    Esse pessoal do hemisfério norte einh! Eles enchem a gente de impostos para poderem destruir o planeta. Temos que fazer alguma coisa, afinal! o planeta não e nosso?

  2. BENIGNO DIAS disse:

    UMA INTERPRETAÇÃO PARA O CAVALO AMARELO DO APOCALIPSE – ENTRE 85% E 95% DA POLUIÇÃO ATMOSFÉRICA PROVÉM DA QUEIMA DOS COMBUSTÍVEIS POR AUTOMÓVEIS (CAVALOS MECÂNICOS), CUJA POTÊNCIA TAMBÉM É MEDIDA EM CAVALO-VAPOR OU HORSE POWER – HP.
    E, SEGUNDO A FÍSICA, A COR AMARELADA DA LUZ SOLAR, AO AMANHECER E AO PÔR-DO-SOL, DEVE-SE À SOMA DE PARTÍCULAS POLUENTES, ENFILEIRADAS NO PLANO HORIZONTAL. À MEDIDA QUE O SOL VAI FICANDO PERPENDICULAR À VISÃO DO OBSERVADOR, A LUZ TENDE A ESBRANQUECER. TAL FENÔMENO OCORRE PORQUE A ESPECTRO DE PARTICULAS ATRAVESSADO PELA LUZ DO SOL VAI FICANDO MENOS ESPESSO, ATIGINDO SEU PONTO MÍNIMO ÀS 12 HORAS, QUANDO O FOCO IRRADIADO FORMA UM ÂNGULO DE 90 GRAUS EM RELAÇÃO À MIRA DO OBSERVADOR E À LINHA DO HORIZONTE. COMO É CONSTITUÍDA POR ELEMENTOS PESADOS, ESSA “CORTINA” EM SUSPENSÃO FICA PAIRANDO PRÓXIMO À CROSTA TERRESTRE, DAÍ A DECOMPOSIÇÃO LUMINOSA AO TOM AMARELO.
    ATUALMENTE, AS PESTILÊNCIAS QUE A POLUIÇÃO TEM MOTIVADO AOS ORGANISMOS VIVOS, SÓ PODEM SER COMPARADAS A DIMENSÕES APOCALÍPTICAS.

  3. Angélica disse:

    OLHEM OS EFEITOS DO PROJETO HAARP AQUI: BRASÍLIA (Reuters) – O governo dos Estados Unidos quer financiar os setores de petróleo e energia hidrelétrica no Brasi por meio do Exim Bank e já conversa com a Petrobras sobre o tema, afirmou nesta terça-feira o secretário-executivo do Ministério de Minas e Energia, Márcio Zimmermann.

    Segundo ele, a proposta, que está ainda em um estágio inicial, já havia sido feita em recente visita de autoridades do ministério aos EUA e foi repetida durante reunião entre o ministro Edison Lobão e o conselheiro norte-americano de Segurança Nacional, general James Jones.

    “O Exim Bank está disposto a investir no Brasil em linhas de financiamento tanto em petróleo como em hidrelétricas”, disse a jornalistas o secretário-executivo do Ministério de Minas e Energia, depois de participar da reunião entre Jones e Lobão.

    Zimmermann ressaltou que os recursos seriam “bem-vindos”, já que a estatal quer aumentar sua capacidade para explorar a camada pré-sal. Ele não revelou, no entanto, detalhes sobre as negociações.

    Em abril, a Petrobras obteve 2 bilhões de dólares do Exim Bank, instituição do governo americano voltada ao financiamento do comércio exterior. A companhia também já pegou um empréstimo de 10 bilhões de dólares da China.

    “Os EUA também têm o interesse em abrir linhas de crédito. A Petrobras está conversando”, afirmou.

    Em coletiva na semana passada, o diretor financeiro da Petrobras, Almir Barbassa, disse que poderia estender o empréstimo de 2 bilhões de dólares para 5 bilhões de dólares, mas não deu detalhes.

    PRÉ-SAL

    No encontro, disse Zimmermann, as autoridades brasileiras fizeram uma apresentação sobre a situação do setor de petróleo no país aos americanos, mas não entraram em detalhes sobre o novo marco regulatório do segmento. Como o tema ainda está em discussão pelo governo, ponderou o secretário, discuti-lo com os EUA seria uma “ingerência” nos assuntos internos do Brasil.

    “Foi uma apresentação sobre todo o aspecto, o setor de petróleo no Brasil como está hoje”, comentou, lembrando que o tema de segurança energética é de responsabilidade de Jones, por isso o interesse do general na matéria.

    “Foi conversado em linhas gerais a estratégia brasileira para a parte energética.”

    A equipe ministerial que elabora o novo modelo do setor deve entregar uma proposta ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva na quarta-feira.

    Integrantes do Ministério de Minas e Energia também mostraram aos enviados americanos como o sistema elétrico interligado do país funciona, tema de interesse do governo dos EUA.

    Segundo o secretário, foi conversado ainda sobre a possibilidade da parceria executada por Brasil e EUA em países em desenvolvimento –atualmente focada na produção de etanol– ser ampliada.

    “Há uma tendência também de aumentar essa parceria na parte de hidrelétricas”, afirmou.

    Zimmermann assegurou que não constou da pauta da reunião a demanda do Brasil de ver reduzida as tarifas impostas pelos EUA para a importação do etanol nacional, assim como eventuais parcerias no segmento da energia nuclear.

    Jones se reunirá ainda com os ministros Nelson Jobim (Defesa) e Dilma Rousseff (Casa Civil), o comandante da Aeronáutica, brigadeiro Juniti Saito, e o assessor especial da Presidência para Assuntos Internacionais, Marco Aurélio Garcia.

  4. Marcelo disse:

    gastam trilhoes em armamento belico e futilidades luxuosas, e bilhoes de pessoas passando fome e morrendo de doenças banais e mesmo assim a sociedade de jeito nenhum acorda para o que esta acontecendo nesse planeta…alguem ainda tem duvida que o amor esfriou no coração dos homens e toda a sociedade é governada por algo maligno????

  5. Angélica disse:

    Esta tecnologia Haarp e seus efeitos tem a ver com instrumentos de espionagem usados recentemente pelos Eua e Inglaterra.E a bacia de Campos é um dos maiores reservatórios do petróleo brasileiro.Sei não,podem estar de olho no nosso petróleo,via satélite e via Haarp.Tudo é possível

  6. Angélica disse:

    “O projeto de trinta milhões de dólares do Pentágono, eufemisticamente chamado de HAARP (High Frequency Active Auroral Research) é feito para projetar mais de 1.7 GW (gigawatts) de energia radiada na ionosfera — a camada eletricamente carregada que está acima da atmosfera da Terra. Basicamente, o aparelho é o inverso de um radiotelescópio — apenas transmite em vez de receber. Ele ‘faz ferver a parte superior da atmosfera’. Após aquecer e interferir com a ionosfera, as radiações são refletidas de volta para a Terra, formando longas ondas que penetram em nossos corpos, no solo e nos oceanos.” [Angels Don’t Play This HAARP, pg 8].(È COMO UM MICROONDAS)O
    invento propicia a capacidade de colocar quantidades sem precedentes de energia na atmosfera da Terra em locais estratégicos e manter o nível de injeção, particularmente se o pulso aleatório for empregado, de uma maneira muito mais precisa e melhor controlada que até aqui realizada pela arte anterior…” [pg 28].

    “… o objetivo é aprender como manipular a ionosfera em uma escala muito maior do que a União Soviética pôde fazer com suas instalações similares. HAARP seria o maior aquecedor ionosférico no mundo,

    Além disso, a partir dessa latitude ao norte, a energia poderia ser direcionada à ionosfera para que fosse refletida de volta para a Terra exatamente onde os cientistas querem que ela caia. O segredo é aprender como e onde direcioná-la para atingir a Terra onde eles querem que ela caia, criando o tipo de desastre ou condição climática que desejarem.

    Em resumo, esse é o núcleo do conhecimento adquirido recentemente para controlar o clima. Derramando energia medida que foi focada em certas partes da ionosfera, os cientistas podem criar todos os tipos de tempestades, como furacões, chuvas fortes, inundações, tornados e seca.
    Para fins militares o Haarp teria várias aplicações, por exemplo inutilizar equipamentos eletrônicos do inimigo, detectar mísseis e aviões de baixo nível, detectar depósitos subterrâneos de armamento de um país inimigo ou armas nucleares, novo sistema de comunicações entre submarinos, etc.

    Os EUA investiram dezenas de milhões de dólares para essa tecnologia de tomografia de penetração da terra, intensas radiações podem usar-se para observação da terra a km de profundidade ( para encontrar bases subterrâneas de armamento, etc). Acontece que essas freqüências elevadas perturbam as funções cerebrais humanas.

    O próprio “Airpower journal” em 1996 disse que o exército americano está a desenvolver armas psicotronicas e eletrônicas, não letais, para afetar humanos. http://www.fimdostempos.net/haarp.html





Please note: Comment moderation is enabled and may delay your comment. There is no need to resubmit your comment.

.

GRÁTIS: Receba Atualizações em seu E-mail:

Clique no link em sua Caixa de Entrada ou Spam para confirmar a inscrição.
Categorias
Pesquisar
.