O Ódio aos Cristãos: Cresce a Cristofobia Islâmica

Published on fevereiro 23, 2012 by   ·   No Comments
23.02.2012 – Ayaan Hirsi Ali publicou na revista Newsweek, de 13 de fevereiro passado, artigo fartamente documentado sobre a guerra que os países islâmicos estão desencadeando contra os cristãos, atingindo sua liberdade de consciência, proibindo-os de manifestarem sua fé e assassinando quem a professa individualmente ou mediante atentados a Igrejas ou locais onde se reúnam.

Lembra que ao menos 24 cristãos foram mortos pelo exército egípcio, em 9 de outubro de 2011; que, no Cairo, no dia 5 de março do mesmo ano, uma igreja foi incendiada, com inúmeros mortos; que, na Nigéria, no dia de Natal de 2011, dezenas de cristãos foram assassinados ou feridos, e que no Paquistão, na Índia e em outros países de minoria cristã a perseguição contra os que acreditam em Cristo tem crescido consideravelmente. Declara a autora que “os ataques terroristas contra cristãos na África, Oriente próximo e Ásia cresceram 309% de 2003 a 2010”. E conclui seu artigo afirmando que, no Ocidente, “em vez de criarem-se histórias fantasiosas sobre uma pretensa “islamofobia”, deveriam tomar uma posição real contra a “Cristofobia”, que principia a se infestar no mundo islâmico. “Tolerância é para todos, exceto para os intolerantes”.

Entre as sugestões que apresenta, está o Ocidente condicionar seu auxílio humanitário, social e econômico a que a tolerância para com os que professam a fé cristã seja também respeitada, como se respeita, na maioria dos países ocidentais a fé islâmica.

Entendo ser o Brasil, neste particular, um país modelo. Respeitamos todos os credos, inclusive aqueles que negam todos os credos, pois a liberdade de expressão é cláusula pétrea na nossa Constituição.

Ocorre, todavia, que as notícias sobre esta “Cristofobia islâmica” são desconhecidas no país, com notas reduzidas sobre atentados contra os cristãos, nos principais jornais que aqui circulam. Um homossexual agredido é manchete de qualquer jornal brasileiro. Já a morte de dezenas de cristãos, em virtude de atos de violência planejados, como expressão de anticristianismo, é solenemente ignorada pela imprensa.

Quando da Hégira, em 622, Maomé lançou o movimento islâmico, que levou à invasão da Europa em 711 com a intenção de eliminar todos os infiéis ao profeta de Alá. Até sua expulsão de Granada — creio que em 1492 — os mulçumanos europeus foram se adaptando à convivência com os cristãos, sendo que a filosofia árabe e católica dos séculos 12 e 13 convergiram, fascinantemente. Filósofos de expressão, como Santo Tomas de Aquino, Bernardo de Claraval, Abelardo, Avicena, Averróes, Alfa-rabi, demonstraram a possibilidade de convivência entre credos e culturas diferentes.

Infelizmente, aquilo que se considerava ultrapassado reaparece em atos terroristas, que não dignificam a natureza humana e separam os homens, que deveriam unir-se na busca de um mundo melhor. Creio que a solução apresentada por Ayaan Hirsi Ali é a melhor forma de combater preconceitos, perseguições e atentados terroristas, ou seja, condicionar ajuda, até mesmo humanitária, ao respeito a todos os credos religiosos (ou à falta deles), como forma de convivência pacífica entre os homens. É a melhor forma de não se incubarem ovos de serpentes, prodigalizando auxílios que possam se voltar contra os benfeitores.

Fonte: Ives Gandra da Silva Martins no Jornal do Brasil  e  Blog Libertos do Opressor

=======================================

Nota de   www.rainhamaria.com.br

Diz na Sagrada Escritura:

“Se o mundo vos odeia, sabei que me odiou a mim antes que a vós”. (Jo 15,18)

“Então sereis entregues aos tormentos, matar-vos-ão e sereis por minha causa objeto de ódio para todas as nações”. (Mt 24,9)

“Quem nos separará do amor de Cristo? A tribulação? A angústia? A perseguição? A fome? A nudez? O perigo? A espada?” (Rm 8,35)

“Pois todos os que quiserem viver piedosamente, em Jesus Cristo, terão de sofrer a perseguição”. (2Tm 3,12)

“Somos perseguidos, mas não ficamos desamparados. Somos abatidos, mas não somos destruídos”. (2Cor 4,9)

Leia também..

Indonésia força mil crianças católicas a converter-se ao Islã.

Reportagem da Revista ISTOÉ: Cristãos perseguidos, o ódio aos seguidores de Jesus Cristo

Vítimas do Islã radical – Os mártires modernos do cristianismo

Padre John Flynn: Calvário não é um nome que pertence só à arqueologia e à antiguidade

Extremistas muçulmanos assassinam a jovem por deixar Islã e converter-se ao cristianismo

Cristãos são tratados como bestas no Paquistão, denuncia sacerdote

Paquistão: Centenas de cristãs são forçadas a converter-se ao Islã

Arcebispo Dom Louis Sako: Não há futuro para os cristãos no Oriente Médio

Cristãos são apedrejados no Monte do Templo

23.02.2012 – Turistas foram atacados por grupo muçulmano enquanto visitavam local sagrado.

Um grupo de cerca de 50 palestinos muçulmanos apedrejaram esta semana um grupo de turistas cristãos no Monte do Templo, em Jerusalém. Vários ficaram seriamente feridos, mas ninguém morreu,

Três policiais israelenses que tentaram proteger o grupo cristão foram atingidos pelas pedras arremessadas contra eles, disse o site Israel Today.

A polícia prendeu 11 palestinos envolvidos no ataque. Muitos deles são crianças. A justificativa para o apedrejamento seria uma resposta ao apelo do líder muçulmano Ekrama Sabri. Ele  afirmou semana passada que grupos judeus planejavam entrar nas mesquitas e profanar seus recintos sagrados.

Sabri conclamou que todos os muçulmanos deviam proteger as mesquitas de Jerusalém de uma “conspiração israelense contra a cidade e seus lugares sagrados”.

Os líderes religiosos muçulmanos seguidamente alegam que Israel está conspirando para destruir o “Domo da Rocha” e a mesquita de Al Aqsa visando com isso abrir o caminho para a reconstrução do Templo. A Bíblia relata que ali foi construído o Templo de Salomão, desctruido e reconstruído depois por Herodes. O Muro das Lamentações, localizado algumas centenas de metros do alto do monte contraria os argumentos islamitas de que ele nunca existiu.

Apesar de o Monte do Templo ser o lugar mais sagrado para os judeus e muitos cristãos, a polícia israelense tem atendido as exigências muçulmanas para restringir severamente a presença de visitantes não-muçulmanos. Por exemplo, há muito tempo judeus e cristãos são proibidos de levar a Bíblia para o Monte do Templo para fazer orações silenciosas.

Isso seria uma ofensa aos muçulmanos. É comum judeus e cristãos serem presos por violarem esta medida “de segurança”.

Traduzido e adaptado por Gospel Prime de Israel Today

=========================================

Nota de   www.rainhamaria.com.br

Diz na Sagrada Escritura:

“Se o mundo vos odeia, sabei que me odiou a mim antes que a vós”. (Jo 15,18)

“Então sereis entregues aos tormentos, matar-vos-ão e sereis por minha causa objeto de ódio para todas as nações”. (Mt 24,9)

“Quem nos separará do amor de Cristo? A tribulação? A angústia? A perseguição? A fome? A nudez? O perigo? A espada?” (Rm 8,35)

“Pois todos os que quiserem viver piedosamente, em Jesus Cristo, terão de sofrer a perseguição”. (2Tm 3,12)

“Somos perseguidos, mas não ficamos desamparados. Somos abatidos, mas não somos destruídos”. (2Cor 4,9)

 

Leia também..

O Ódio aos Cristäos: Cresce a Cristofobia Islâmica

Reportagem da Revista ISTOÉ: Cristãos perseguidos, o ódio aos seguidores de Jesus Cristo

Vítimas do Islã radical – Os mártires modernos do cristianismo

Padre John Flynn: Calvário não é um nome que pertence só à arqueologia e à antiguidade

 FONTE

LEIA TAMBÉM: Assuntos Relacionados

Tags: 

Readers Comments (0)




Please note: Comment moderation is enabled and may delay your comment. There is no need to resubmit your comment.

Receba nossas atualizações, é Grátis

Digite seu e-mail:

Clique no link em sua Caixa de Entrada ou Spam para confirmar a inscrição.
.