Esta é a segunda recessão que o país enfrenta em três anos. PIB da Espanha recua 0,4% no 1º trimestre de 2012

Published on abril 23, 2012 by   ·   No Comments

23/04/2012

Esta é a segunda recessão que o país enfrenta em três anos.
Dados são do Banco Central da Espanha.

O Produto Interno Bruto (PIB) da Espanha se contraiu 0,4% no primeiro trimestre na comparação com o quarto trimestre do ano passado, e recuou 0,5% ante os primeiros três meses de 2011, de acordo com informações do Banco de España, banco central do país, divulgadas nesta segunda-feira (23). O resultado mostra evidências de uma piora na economia espanhola, tornando mais difícil para Madri atingir suas ambiciosas metas de austeridade. Esta é a segunda recessão que o país enfrenta em  três anos.

Segundo o BC local, como já ocorreu nas recessões de 2008 e 2009, está exercendo o maior impacto negativo o comportamento da demanda interna – todos os componentes caíram no último trimestre de 2011 e seguem no mesmo ritmo nos primeiros meses deste ano.

No próximo dia 30, o Instituto Nacional de Estatísticas da Espanha anunciará o resultado do PIB do primeiro trimestre, confirmando as estimativas do Banco Central local.

No quarto trimestre de 2011, o PIB da Espanha se contraiu 0,3%, na comparação trimestral, mas teve alta de 0,3% na comparação com igual período do ano anterior.

O banco central do país ainda disse que a economia da Espanha, a quarta maior da zona do euro, está diante de uma série de incertezas, inclusive, com riscos relacionados à crise da dívida na região.

No início deste ano, a instituição previu uma contração de 1,5% para o ano de 2012, no entanto, economistas alertaram para a possibilidade de uma crise mais profunda, uma vez que o processo para alcançar as metas de austeridade está reduzindo os gastos do governo.

No último dia 16, o ministro da Economia da Espanha, Luis de Guindos, havia admitido que o país provavelmente teria entrado em sua segunda recessão desde 2009, enquanto os rendimentos da dívida pública do país haviam voltado a subir para níveis perigosos, no mesmo dia, diante da preocupação de que Madri não atingirá suas rigorosas metas de déficit orçamentário.

O ministro da Economia disse que o Produto Interno Bruto (PIB) deve ter apresentado uma queda similar à do período entre outubro e dezembro de 2011, quando a economia encolheu 0,3% na comparação trimestral.

Dois trimestres consecutivos de queda do PIB marcam uma recessão, o que tem sido amplamente esperado na Espanha, mas De Guindos afirmou que a recessão pode não ser tão ruim quanto se pensava.

“No momento, vejo um primeiro trimestre com um padrão similar ao do último trimestre do ano passado”, disse o ministro em uma entrevista ao jornal El Mundo publicada nesta segunda-feira.

No entanto, ele acrescentou: “Se você tivesse me perguntado há dois meses, eu esperaria que o primeiro trimestre de 2012 fosse muito pior do que o último trimestre do ano passado. Mas não será o caso”.

Cortes orçamentários
O governo conservador diz que está empenhado em fazer grandes cortes orçamentários. Mas está crescendo nos mercados financeiros a preocupação de que a recessão tornará impossível cumprir as metas do déficit e que a Espanha terá que procurar algum tipo de resgate internacional, como Grécia, Irlanda e Portugal.

GRÁTIS: Receba Atualizações em seu E-mail:

Confirme em sua Caixa de Entrada ou Spam Agora!

Os rendimentos dos títulos espanhóis de dez anos ultrapassaram a marca de 6% nesta segunda-feira pela primeira vez desde o início de dezembro. Isso levantou preocupações de que os custos de empréstimo do governo podem alcançar rapidamente níveis insustentáveis, a menos que o Banco Central Europeu (BCE) volte a comprar títulos do governo em um programa que tem ajudado a conter os rendimentos nos últimos meses.

“Estamos de volta no modo de crise plena”, disse o estrategista de taxas do Rabobank Lyn Graham-Taylor. “Está parecendo mais e mais provável que a Espanha terá alguma forma de resgate. Assumindo que não haverá uma intervenção (do BCE), você não verá um limite para os rendimentos espanhóis, eles apenas continuarão aumentando.”

A economia da Espanha tem encolhido ou estagnado desde a bolha imobiliária que estourou em 2008. Com os preços das casas ainda em queda, a sobrevivência de alguns bancos e a capacidade do novo governo em controlar suas finanças estão em risco.

FONTE

Economia caiu 0,4% no primeiro trimestre e deve cair 1,7% no segundo

Rajoy e a recessão: “A situação é difícil e complicada”

Mariano Rajoy

Mariano Rajoy
D.R.
24/04/2012 | 12:25 | Dinheiro Vivo

Espanha entrou em recessão no primeiro trimestre porque a situação é “muito difícil e complicada”, defendeu hoje o presidente do Governo, Mariano Rajoy.

“A situação é muito difícil e por isso adoptámos medidas que sabemos que não agradam aos espanhóis, mas que procuram superar esta situação de enorme complexidade”, assegurou Rajoy, acrescentando que “no final, vamos estar na frente”.

As declarações foram prestadas hoje em Madrid, antes duma sessão do Congresso, segundo o Expansíon, e o responsável assinalou que as contas públicas prevêem uma queda de 1,7% da economia este trimestre e que o retrocesso de 0,4% registado no primeiro trimestre, “não surpreendeu” o Governo.

As medidas previstas no Orçamento do Estado para este ano, procuram exclusivamente superar uma situação de “enorme complexidade”. O Governo, assegura Rajoy, está se a ver “obrigado” a tomar medidas “que sabemos que não agradam aos espanhóis”, mas que tem como único objectivo superar “uma situação de enorme complexidade”.

 Espanha entrou em recessão no primeiro trimestre porque a situação é “muito difícil e complicada”, defendeu hoje Mariano Rajoy.

http://www.dinheirovivo.pt/Economia/Artigo/CIECO042879.html

GRÁTIS: Receba Atualizações em seu E-mail:

Confirme em sua Caixa de Entrada ou Spam Agora!

LEIA TAMBÉM: Assuntos Relacionados

Tags: 

Readers Comments (0)

Comments are closed.

.

GRÁTIS: Receba Atualizações em seu E-mail:

Clique no link em sua Caixa de Entrada ou Spam para confirmar a inscrição.
.
Categorias
Pesquisar
.